Cadastro Único: Saiba como fazer sua inscrição

Se você acompanhou toda a saga o auxilio emergencial no ano passado e até mesmo tentou se beneficiar do mesmo, você provavelmente ouviu falar do Cadastro único. O CadÚnico, como é chamado, foi criado pela Caixa Econômica Federal para que pudesse reunir os dados pessoais das famílias de baixa renda de todo o país, como seus endereços, renda familiar, núcleo familiar e coisas do tipo, para que as mesmas pudessem ser beneficiadas.
Antes de qualquer coisa, você precisa saber se você já possui uma inscrição no Cadastro Único (CadÚnico). Para isso, basta que você faça uma simples consulta pelo aplicativo, pelo site do governo e até mesmo por telefone. Além disso, é importante saber também quem pode se inscrever.
O cadastramento único para programas sociais do Governo Federal foi criado no ano de 2001 pelo decreto n° 3.887. Hoje, quem pode se cadastrar são famílias de até três salários mínimos ou até meio salário mínimo por pessoa também. Esse programa possui dois principais objetivos, que é possuir primeiramente um conhecimento das pessoas que estão em situação de extrema pobreza em nosso país e assim analisar a realidade socioeconômica.
O Cadastro Único foi criado para auxiliar famílias de baixa renda, dando suporte na área financeira. Alguns de seus benefícios para a inclusão dessas famílias são:

  • Bolsa Família
    -Bolsa Verde
    -ID Jovem
  • Telefone popular
  • Isenção de taxas em concursos públicos
  • Minha casa Minha vida
  • Tarifa social de energia
  • Auxílio emergencial
    Nesse ano de 2020 o cadastro único foi muito falado, por conta do auxílio emergencial, criado devido à pandemia, que acabou prejudicando milhares de brasileiros em questão financeira com o fechamento de empresas e comércio. O auxílio foi feito para beneficiar mães solteiras, famílias de baixa renda e principalmente os trabalhadores autônomos, que dependiam de seu dia de trabalho para ganhar dinheiro, não possuindo carteira assinada e nenhuma garantia de patrão.
    Para fazer o seu cadastro no CadÚnico, é necessário saber primeiro se você se encaixa nos critérios para entrar. Para se inscrever, você precisará ir ao Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) mais próximo de você e procurar saber sobre sua inscrição.
    Para isso, sua família deverá eleger um membro, sendo necessário ter mais de 16 anos e residir no mesmo local, para que seja responsável pelo questionário que será feito. A pessoa escolhida deverá levar seu RG e CPF ou título de eleitor para sua identificação. Lembrando que a pessoa responsável deverá sempre atualizar os dados, caso hajam mudanças.
    Feito isso, você deverá reunir os documentos necessários para o processo, sendo eles:
  • Certidões de nascimento
  • Certidões de casamento
  • CPF
  • Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI)
  • Carteira de trabalho
  • RG
  • Título de eleitor

Com todos os documentos reunidos, lembrando que é preciso o documento de todos da casa, você pode começar o cadastro. Vale lembrar que assim que for concluído seu cadastro, não significa que imediatamente você será beneficiário de todos os programas de uma só vez, mas por enquanto terá direito aos auxílios oferecidos pelo governo.
Sendo assim, quando concluído, você expressará interesse por um dos benefícios, e o órgão responsável por ele entrará em contato.
Um dos benefícios mais usados é o Bolsa Família. Esse programa social tem como objetivo garantir para as famílias de baixa renda o acesso à saúde, educação e alimentação. Já são cerca de 13,9 milhões de famílias beneficiadas pelo programa. O Bolsa família tenta combater os casos de extrema pobreza, e garantir que as famílias mais necessitadas possam se alimentar bem, possuírem um bom atendimento de saúde e que as crianças possam ter acesso à escola.
Quem tem direito? As famílias que possuem uma renda mensal de até R$89,00 por pessoa. As famílias pobres são as que possuem uma renda desse valor até R$178,00 por pessoa mensalmente. Essas famílias possuem o direito de entrar no programa caso tenham gestantes, crianças e adolescentes até 17 anos de idade.
Para que você consiga participar, é necessário, como dito acima, ter seu cadastro no CadÚnico, e muito importante atualizar seus dados sempre, até no máximo a cada dois anos, para que saibam que está ativo e também para não haver erros, como troca de endereço, telefone, o que impeça algum tipo de contato e faça com que você acabe perdendo o benefício por isso.
Com isso, reforçamos a importância do cadastro único para as famílias que estão em situação de vulnerabilidade econômica, para que assim tenham suas despesas amenizadas. Todos os programas que o cadastro oferece têm por objetivo a regularização da população, oferecendo moradia, educação, saúde e assistência social.
O Minha Casa Minha Vida era um dos programas ofertados no cadastro único, com a finalidade de fornecer moradia para quem tem menos condições de financiar um imóvel, tornando acessível e possível o sonho da casa própria para essas famílias com baixa renda.
Vale lembrar que você ainda pode se inscrever, caso você se encaixe nos critérios e ainda não possui o cadastro, para que possa tentar o auxílio emergencial, que tem sido de muita valia nessa pandemia. Para que você tenha acesso ao auxílio emergencial, é necessário que você baixe o aplicativo Caixa Tem, onde você fará seu cadastro com os dados que forem pedidos e assim o aplicativo mostra se você tem ou não algum saldo, permitindo transferência bancária.
Caso você tenha feito seu cadastro recentemente, é mais eficaz que você vá até uma agência da Caixa Econômica Federal mais próxima para que os atendentes consultem seu CPF e seu cadastro e expliquem tudo, caso também você não tenha direito ao auxílio.
Até o mês de junho de 2020 já foram cerca de 53,9 milhões de beneficiados do auxílio emergencial em todo o país. Você que é um trabalhador informal, se informe de seus direitos, caso já tenha o cadastro único, vá até uma agência e tente ativar seu auxílio. Caso você seja mãe solteira, trabalhador autônomo ou de baixa renda não possui um cadastro único, se dirija até o CRAS mais próximo para que consiga o direito ao auxílio.

Simulador de corte de cabelo